Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Sorte da Raposa

Partilha de emoções, experiências, reflexões ❤

A Sorte da Raposa

Partilha de emoções, experiências, reflexões ❤

Deep Purple

23.11.22, Dulce Ruano
Por mais testes e exames que tenha feito ao longo da minha vida, o diagnóstico é peremptório, o rock corre-me nas veias e apesar de dar ouvidos a muitos e tantos estilos musicais, o rock prevalece, mesmo se assisto a uma obra de ópera, que adoro, o rock continua cá, impregnado totalmente no meu espirito não arreda pé das emoções e da adrenalina que floresce em mim. Assisti a concertos e festivais que já fariam história se um dia a contasse, vi e ouvi muita coisa e há tantos (...)

Correr com a chuva

20.10.22, Dulce Ruano
Hoje não seria dia de treinar, mas disse a mim mesma que o iria fazer sem me comprometer com a minha consciência, não fosse às vezes surgir algum deslumbre 😁 Saí do trabalho, fui comprar umas coisas no supermercado e aproveitei a oportunidade de ir a uma loja comprar a prenda de aniversário do Duarte . Quando entrei para o carro, no estacionamento do fundo, recostei-me no assento, saquei dum Tiramisu que tinha comprado e comi aos pedacinhos pequeninos para durar mais tempo, o (...)

Setembro

30.09.22, Dulce Ruano
Setembro, está de partida, apesar de gostar de desfrutar de todos os dias do ano, como tudo na vida gosta-se mais de uns dias que outros e também mais de uns meses que outros, no que me toca não vou muito com os ares de Setembro. Setembro é, para mim, um mês malandro, rouba-me o verão, leva-me os dias quentes, ensoladorados, clarinhos, o céu azul e limpo, leva-me a luz, a leveza, a descontração, a beleza, tantas outras coisas que me leva e sobrecarrega com outras que me tornam (...)

Arvorismo

23.09.22, Dulce Ruano
Passar por experiências acrescenta-nos em sabedoria, satisfação, afirmação e torna-nos especiais. Há uns anos quando passava por momentos radicais achava que tinha de os aproveitar porque com o passar da idade, a destreza iria reduzir além de que a vontade em meter-me em aventuras também diminuia devido à própria natureza do ser humano. Analisando as aventuras e emoções que tive no passado diria que em comparação estou, atualmente, mais radical, com mais destreza, força, (...)

Trovoada à fatia

21.09.22, Dulce Ruano
  A natureza tanto tem de beleza ímpar como de medonha e perigosa, por exemplo, um incêndio, uma inundação, um vulcão, um tremor de terra, ou até um simples cogumelo venenoso ou um bicho que destila veneno para sua defesa, diria até o próprio ser humano. Tudo tem o seu lado maravilhoso e o seu lado assustador. Desde pequena, quando ouvia trovoadas e via relâmpagos observava uma beleza extraordinária, ficava encantada com os fortes estrondos, confesso que por vezes tremia um (...)

Lista Mágica

14.09.22, Dulce Ruano
Ir às compras de supermercado exige, nos dias atuais, uma ginástica tremenda, tem dias que apetece comprar tudo, em especial se sentimos vontade de comer compramos coisas supérfluas que no fundo servem apenas para alimentar o ego, gastar dinheiro e por fim, quando chega a consciência do ato, termos a sensação de angústia e frustração porque o fizemos. Também há outras vezes que pensamos em comprar só o restrito necessário mas vamos tão conscientes e sem fome que abdicamos de (...)

Concerto de Gerações

03.08.22, Dulce Ruano
Entrei no mundo dos grandes concertos em 16 Junho de 1993 no Estádio José Alvalade, hoje a Alvaláxia, estava entre as 60.000 pessoas presentes, o alinhamento parecia pesado: Suicidal Tendencies, The Cult, Metallica, estes últimos no auge do mundo Metálico, na altura não me encaixavam muito bem, andava em fase de mastigação, depois desse grande concerto voltei a vê-los mais umas quantas vezes e a última em Madrid decidi que seria o fim do frenesim pelos Metallica, nada (...)

Pedra Podre

25.07.22, Dulce Ruano
Há já algum tempo, muito, que olho para a minha cozinha e penso que gostaria de a mudar, tenho falta de arrumação e preciso que se torne mais eficiente, esta é a minha parte emocional a expressar-se porém quando o lado racional começa a fazer contas, nem que seja por alto, faz com que esta vontade vá sendo adiada até porque acho o dinheiro mais bem empregue em viajar. Depois vêm as tentações do demónio a moer-me, ou não fosse eu demoníaca de entusiasmo pelas coisas que (...)

Km 315 Valladolid

13.07.22, Dulce Ruano
  Quem anda pelas estradas dos nossos vizinhos espanhóis reconhece que quilómetro sim, quilómetro não, há uma estação de serviço, são mais que as mães. Em Portugal se pensamos parar para alguma necessidade seja ela qual for ou vamos à que se aproxima ou então teremos nova oportunidade daí a 40 Kms. No país ao nosso lado damo-nos ao pequeno luxo de decidir parar onde bem nos apetecer já que são aos molhos, compreende-se, o país é grande e serve de entremeio para o resto (...)

A passagem de ferry

05.07.22, Dulce Ruano
Com conhecimento de causa no que toca a fazer transfers de ferry e sem pensar que nem todos os ferrys são como os que já fiz de perto da avenida luísa Todi para Troia, saiu-me penoso não ter tido a precaução em perceber que o ferry onde me ia a meter desta vez não era para Tróia. No contexto duma viagem que fizémos do sul de França para Córsega com o nosso carro,ao chegarmos ao porto de embarque deparamo-nos com um navio tão gigante que por pouco o comparei com o navio de um (...)