Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Sorte da Raposa

Partilha de emoções, experiências, reflexões ❤

A Sorte da Raposa

Partilha de emoções, experiências, reflexões ❤

Conhecer aldeias

29.12.19, Dulce Ruano

Aldeias históricas.jpg

Viver no interior é um previlégio em muitas coisas noutras nem por isso, só de pensar em viajar de avião por exemplo até me dá um arrepio com o tempo que se leva até chegar a um aeroporto, por outro lado valorizo em muito o que tenho à minha volta e vejo tudo isso como um potencial a descobrir, a viver, a sentir.

Uma das coisas boas que temos no meio de tantas e tantas, são as aldeias históricas de Portugal: Almeida, Belmonte, Castelo Mendo, Castelo Novo, Castelo Rodrigo, Idanha-A-Velha, Linhares da Beira, Marialva, Monsanto, Piódão, Sortelha e Trancoso. Todos sabemos que para além destas doze aldeias temos tantas outras que não estão aqui representadas mas que são tão bonitas quanto estas, carregadinhas de histórias e de lugares de uma beleza deslumbrante que nos levam a sentir emoções do que se por lá passou noutros tempos, as batalhas, as conquistas, as vidas quotidianas das suas sociedades.

Aventureira, com uma necessidade incessante de conhecer lugares e gentes, ter estas aldeias aqui tão perto seria ímpensável não as conhecer, há lugares que conheço desde muito pequena, outros fui visitando e alguns destes lugares já visitei diversas vezes, no entanto uma destas aldeias nunca tinha ido, imperdoável mas são coisas que acontecem e não se explicam.

A que faltava visitar era Marialva, tanta vez que meu pai me falava que era tão bonita (não fosse ele suspeito em dizer isto, também gosta tanto quanto eu destas coisas) ainda assim eu dizia sempre "um dia destes temos de lá ir, estou cheia de curiosidade em conhecer", mas ando sempre nas minhas lides de conhecer outros lugares e nem sempre há tempo para se ver tudo o que se tem na lista, até que decidimos visitar.

Marialva_geral.jpg

Ia cheia de expectativa, o dia estava repleto de sol quentinho apesar do inverno se ter instalado, à medida que nos iamos aproximando, o céu acinzentou de tanta neblina, achava que logo levantava e ia ver Marialva repleta de sol, atravessámos a aldeia, subimos até à zona do castelo, havia muito frio, nevoeiro e cor cinzento.

À medida que subiamos a pé na direção do castelo e das casas pitorescas em redor percebi que já ali tinha estado, não acreditaram em mim, diziam-me que estaria a fazer confusão com algum lugar parecido mas a minha memória visual cada vez me dava mais crédito à minha certeza.

Marialva_casas.jpg

Cheguei a um lugar que não tinha dúvida nenhuma, já ali tinha estado e lembrava-me de tudo, só não sabia a que propósito, lembrava-me que passei por lá de caminho vindo de algum lado, não sabia de onde, descrevi a estrada à chegada e estava um calor insuportável, teria sido no verão. No final da visita lembrei-me que tinha lá ido parar vinda de um festival de rock em Mêda, ali perto e esse festival foi em Julho, daí o calor, daí a direção de onde tinha vindo.

Tive vontade de pensar que tinha sido um desperdicio de tempo ter lá ido uma vez que conhecia tudo, porém como sou positiva no que me acontece senti que valeu muito a pena ter ido ver de novo, mas que foi um "galo" lá isso foi 

Marialva_aldeia.jpg

Por ali nos arredores descobri outros lugares, remotos, esquecidos, gostava tanto que as pessoas visitassem estas aldeias, estes lugares que são tão especiais, levam-nos o pensamento e a imaginação para coisas que ali se passaram, sentem-se os cheiros, as algazarras e também o silêncio, as noites escuras, as lutas, o poder, as conversas, os homens, as mulheres, as crianças, tanto que sente nestes lugares 

Visitem, precisam de apoio? contactem-me, será um gosto. Tenho a lenda de Marialva, para quem quiser saber, a lenda da dama com pés de cabra 

Marialva_pelourinho.jpg

Marialva_torre.jpg

 

 

14 comentários

Comentar post