Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Sorte da Raposa

Partilha de emoções, experiências, reflexões ❤

A Sorte da Raposa

Partilha de emoções, experiências, reflexões ❤

O homem da outra - Parte II

12.01.20, Dulce Ruano

O homem da outra - Parte II

As coisas menos boas, chatas, aborrecidas deveriam nos servir de aprendizagem e desafio para não voltarmos a passar pelo mesmo ou pelo menos tentarmos, estamos fartos de saber isto mas nunca aprendemos, quando damos por ela estamos a cair nos mesmos erros, aqueles erros mesquinhos, estúpidos, que não são quase nada mas incomodam, do tipo: vais por uma rua, vês um buraco mas continuas a andar em frente e, cais no buraco, mas porquê se o tás a ver??!! Bloqueio ou sei lá eu o que é que é!

Óssss anos sei que quando escrevo (aprendi isto no lado profissional) tenho de ir gravando pois a tecnologia às vezes prega-nos umas partidas, tem uns efeitos de magia estranhos, sim a tecnologia sim, não somos nós  e as coisas às vezes desaparecem sem se perceber como, por isso é que é magia.

Depois de um dia bastante cansativo de trabalho e formação eis que às 11h. da noite decido me sentar à frente do computador para escrever o que a senhora do café desabafou sobre o marido, ficará no segredo dos deuses o texto que dali saiu, era tudo tão fresco, tão genuíno, tão objectivo, curto e tão original que parecia que aquilo tinha acabado de acontecer naquele instante.

Mas, coisas de magia, o texto despareceu, procurei por todo o lado, esperniei, chorei, fiquei chocada com aquela magia, olhei por todos os cantos interiores e exteriores do computador, levantei teclas do teclado, acho que até debaixo da mesa procurei, girei na cadeira várias vezes na expectativa que tivesse alguma idéia para onde tinha ido parar, Aghhh, tinha ainda uma chance, chamar o técnico da casa, que milagrosamente consegue recuperar tudo!

Chamei, estava a ver um filme, mas eu não podia esperar, tinha mesmo de ser naquele momento, não podia ficar naquela agonia se recuperava ou não, bem, lá veio (tinha mesmo de vir), procurou, reviu, voltou a ver e a rever, o texto tinha ido para a lua!

A mais alguém acontece estas coisas?

Intrigada fiquei eu mas é sobre o que conversavam as senhoras do café, o marido de uma era jeitoso em algo e o da outra não era e que, aliás, não prestava para nada, ai, ai, que será que elas falavam...

 

 

 

1 comentário

Comentar post